Curitiba vacinou 964.807 pessoas contra a covid-19

Curitiba vacinou 964.807 pessoas contra a covid-19 . Foto: Pedro Ribas/SMCS

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba imunizou, até terça-feira (20/7), 964.807 pessoas com a primeira dose da vacina anticovid ou com o imunizante de dose única (Janssen).

Até o momento, 928.017 curitibanos receberam a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus. Desse total, foram vacinados: 413.387 pessoas da população em geral (convocadas por idade); 212.061 idosos com 65 anos ou mais; 116.683 pessoas com comorbidades; 9.935 gestantes e puérperas; 8.156 pessoas com deficiência; 82 indígenas; 1.124 pessoas em situação de rua; 6.968 moradores, funcionários e cuidadores de instituições de longa permanência; 97.523 profissionais dos serviços de saúde da cidade (incluindo as equipes de vacinação); 16.346 trabalhadores das forças de segurança; 42.569 educadores (entre professores e trabalhadores da Educação Básica e Ensino Superior) e 1.252 trabalhadores da limpeza pública.

Imunização completa

Em Curitiba, 298.026 pessoas receberam a segunda dose da vacina até terça-feira (20/7) e outras 36.790 pessoas receberam a vacina em dose única, completando esquema vacinal anticovid.

A cidade já aplicou 1.262.833 unidades da vacina anticovid - primeira e segunda doses e dose única. Ao todo, 66,4% dos moradores de Curitiba acima de 18 anos já receberam ao menos uma dose.

Doses recebidas

Até o momento, Curitiba recebeu do Ministério da Saúde, repassadas pelo Governo do Paraná, 1.418.120 doses de vacinas, sendo 937.330 para primeira dose. 442.610 para segunda dose e 38.180 doses de aplicação única. Nesse montante já estão contabilizados os 5% de reserva técnica.

A reserva técnica é uma medida de segurança, faz parte dos protocolos da logística e é necessária para evitar problemas no fluxo de imunização que possam ser causados por imprevistos eventuais, como por exemplo, quebra acidental de frascos.

Curitiba tem capacidade para vacinar até 30 mil pessoas por dia. O avanço do cronograma de imunização depende do envio de novas doses pelo Ministério da Saúde ao governo estadual, responsável por distribuir os lotes do imunizante aos municípios.