Veja as ações do município no combate ao coronavírus

Sanitização no Palácio 29 de Março, prédio principal da Prefeitura, no Centro Civico - Curitiba, 26/04/2020 - Foto: Daniel Castellano/SMCS

Desde o surgimento do novo coronavírus, a Prefeitura de Curitiba tomou uma série de ações para diminuir o impacto da doença na população curitibana.

O trabalho começou antes mesmo do primeiro caso registrado no Brasil, já que a origem da doença em Wuhan, na China, no final do ano passado, fez soar o alerta para epidemiologistas de todo o mundo. A Secretaria Municipal da Saúde fez as primeiras normativas para unidades de saúde, clínicas e hospitais ainda em janeiro; o primeiro caso no país só seria identificado em fevereiro.

A partir daí o trabalho foi crescente, incluindo ações que foram desde a reorganização da rede de saúde do município até a contratação de 642 profissionais e colocação de 850 profissionais na linha de frente contra o corona; de articulação com a sociedade civil até a produção própria de máscaras de proteção e compra de estoques de equipamentos de proteção individual (EPIs); de campanhas educativas para população à criação de central telefônica para atendimento e teleconsulta para população e distribuição de alimentos para estudantes carentes, além da disponibilização de dois hotéis para profissionais da linha de frente da área da saúde com casos positivos ou que precisem ficar isolados.

Com o andamento da pandemia, a Prefeitura implementou uma série de medidas complementares para regulamentar as atividades do comércio, com o objetivo de orientar a população sobre as posturas sanitárias mais adequadas, de forma a não permitir descontrole na transmissão do novo coronavírus.

Uma dessas medidas foi a Resolução 01 que estabeleceu critérios para os serviços essenciais e para os serviços que permaneceram abertos. Esse trabalho passou a embasar as fiscalizações feitas pelos órgãos municipais. 

Desde 9/6, Curitiba passou a contar com um sistema de monitoramento por bandeiras, com o Programa de Responsabilidade Sanitária e Social da Secretaria Municipal da Saúde, que demonstra por meio de cores o nível da pandemia na capital e a situação das restrições em que a cidade se encontra.

O programa conta com um painel com três níveis de cores: amarelo (alerta), laranja (risco médio) e vermelho (risco alto).  

O monitoramento é feito com base em dois critérios: propagação da doença e capacidade de atendimento do serviço de saúde. E cada nível de cor corresponde às medidas que devem ser adotadas, mais restritivas ou menos.

Primeiramente, Curitiba entrou no primeiro nível, amarelo, que indica estado de alerta e que a situação está fora da normalidade, ou seja, o sistema de saúde ainda está dando conta dos atendimentos.

Em 13/6, a Secretaria Municipal da Saúde aumentou o nível de alerta e a bandeira sinalizadora da situação da capital passou de amarelo (nível 1, alerta) para laranja (nível 2, de alerta médio). A medida decorreu da expansão da transmissão do novo coronavírus na cidade, bem como do aumento de atendimentos na rede de saúde e de casos da doença. Foi suspenso o funcionamento de diversas atividades e o horário de funcionamento de outras foi restringido.

Em 1/7, o município adotou o decreto estadual que determinou uma quarentena restritiva por 14 dias. Com o encerramento do decreto estadual, a partir do dia 15/5, Curitiba voltou a seguir o decreto municipal que havia instituído a bandeira laranja na capital. 

Em 21/7, Curitiba atualizou as regras do decreto que instituiu a bandeira laranja.

Veja as principais ações até agora (e abaixo, as ações por áreas):

 

Gestão da saúde

  • Declaração do Estado de Emergência em Saúde, que deu mais agilidade para implementação de serviços necessários ao combate do novo coronavírus.
  • Disponibilização de mais 325 leitos de UTI SUS na capital, exclusivos para o atendimento de covid-19. Os novos leitos fazem parte do plano de contingência de enfrentamento à pandemia do município e integram os 1.088 leitos de UTI da rede hospitalar pública e privada da cidade.
  • Mudanças nas unidades básicas de saúde: 78 dedicadas ao novo coronavírus e outras doenças, 10 exclusivas para vacinação, 23 remanejadas (com profissionais deslocados para o atendimento ao novo coronavírus).
  • Alteração de fluxo nas Unidades de Saúde, UPAs e Unidades Básicas de Saúde: separação das pessoas que procuram atendimento ainda na porta de entrada, com divisão física entre os que apresentam sintomas da covid-19 e os que apresentam sintomas de outras doenças.
  • Rede Hospitalar foi reordenada e hospitais estão preparados para atender os casos encaminhados da doença.
  • Quem tem caso leve da covid-19 deve permanecer em casa e ligar para a central (41) 3350-9000 para receber orientações.
  • Quem tem caso grave deve procurar o pronto atendimento particular, ou, em caso de usuário do SUS, ligar no (41) 3350-9000, para ser orientado por videoconsulta ou sobre o local correto para atendimento presencial. O funcionamento é das 8h às 20h. Demais horários, pode-se buscar uma UPA.  
  • Disponibilização de "Assistente virtual" que faz triagem de pacientes com suspeita de covid-19.  A população pode passar pela triagem on-line de suspeita de covid-19 por meio da Central de Relacionamento da Prefeitura no WhatsApp (41-9876-2903) ou pelo chatbot nos sites da Prefeitura ou da Secretaria Municipal de Saúde.
  • Contratação de mais 642 profissionais de saúde para trabalhar no combate ao novo coronavírus, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.
  • Remanejamento de profissionais: as mudanças permitiram colocar mais 850 profissionais na linha de frente contra a covid-19.
  • Disponibilização do TeleTea, serviço de teleatendimento para orientação e apoio de famílias e cuidadores de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) que estão em isolamento domiciliar nesse período de pandemia do novo coronavírus.
  • Criação de um sistema de monitoramento por bandeiras para avaliar a situação da cidade em relação à covid-19. Atualmente, o município encontra-se na bandeira laranja, nível 2, de alerta médio.
  • O aplicativo Saúde Já Curitiba foi atualizado com uma área especial com informações sobre o novo coronavírus. É possível tirar dúvidas, acessar uma plataforma virtual de triagem, ter acesso a resultado de exame e receber o boletim diário do município. Os usuários também passaram a ter acesso a um push de mensagens sobre casos positivos da região.
  • A Prefeitura de Curitiba criou um site exclusivo sobre o novo coronavírus, consolidando informações que também continuam a ser veiculadas no portal geral do município. O objetivo é prestar informações de forma mais clara e direta, além de reunir conteúdo mais permanente (como orientações práticas para a população). O site ficará exposto em banner permanente na homepage da prefeitura. Todas as informações estão disponíveis no Curitiba App.
  • Proteção e auxílio à população e aos profissionais da saúde
  • Ativação do Fundo de Recuperação e Estabilização Fiscal de Curitiba, que assegura R$ 500 milhões para combate à pandemia e manutenção dos projetos da cidade.
  • Contingenciamento orçamentário de R$ 499,7 milhões para fazer frente as novas demandas oriundas da Covid-19 e equilibrar o orçamento.
  •  O pagamento do ISS Fixo das competências abril, maio e junho de 2020, pago por sociedades de profissionais autônomos, foi prorrogado por 90 dias.
  • Prorrogação por 90 dias do vencimento do pagamento do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) pelo Simples Nacional para micros e pequenas empresas. Para os Microemprendedores Individuais (MEIs), o prazo foi estendido por 180 dias.
  • A validade das certidões negativas de tributos também foi prorrogada por 90 dias.
  • Suspensão dos prazos dos atos processuais no âmbito da Secretaria Municipal de Finanças. 
  • Distribuição de cestas ou crédito alimentar para famílias de 17.000 estudantes da rede municipal.
  • A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba reforçou medidas simples de combate ao avanço do novo coronavírus: higiene pessoal, como a constante lavagem das mãos com água e sabão ou o uso de álcool em gel; o distanciamento social; evitar levar as mãos nos olhos, nariz e boca; ao espirrar e/ou tossir usar lenços descartáveis ou colocar o cotovelo diante da boca e nariz; manter os ambientes ventilados e evitar lugares fechados e com aglomeração de pessoas.
  • Obrigatoriedade de uso de máscaras pela população em espaços públicos, comerciais e de uso coletivo, incluindo o transporte coletivo, os táxis e os veículos de aplicativos. A orientação é que a população faça uso de máscaras caseiras. 
  • Criação do sistema de atendimento psicológico por telefone para servidores que estão na linha de frente do combate ao novo coronavírus (41 3350-8200) e para população em geral (41 3350-8500).
  • Contratação de vagas em hotéis para os profissionais que estão na linha de frente do combate à covid-19, que inclui hospedagem, refeições, lavanderia, roupa de cama e estacionamento. Um dos hotéis é para acolher trabalhadores com suspeita ou com resultado positivo para covid-19. Outro hotel é para aqueles profissionais que moram com familiares que são do grupo de risco e não possuem estrutura domiciliar para o adequado isolamento.
  • Receitas de medicamentos de uso contínuo foram renovadas automaticamente por mais 90 dias. Isso evita que as pessoas tenham que ir até as unidades de saúde.
  • Reforço no estoque de medicamentos e de equipamentos de segurança, ainda antes da chegada do novo coronavírus em Curitiba.
  • Aumento das compras de álcool gel, luvas, máscaras e demais equipamentos de segurança feito antes da notificação dos primeiros casos de covid-19 na cidade.
  • Cirurgias eletivas, que não são consideradas urgentes, foram suspensas.
  • Atendimentos odontológicos de rotina também foram suspensos. Só estão sendo atendidos os casos emergenciais.
  • Todas as atividades em grupos (ioga, canto, ginástica) com idosos suspensas na rede saúde.
  • Máscaras escudo: os equipamentos de proteção estão sendo impressos nas impressoras 3D no FabLab do Cajuru. As 21 impressoras dos Faróis do Saber e Inovação também foram levadas ao FabLab.
  • Antecipação do 13º salário para os servidores públicos.
  • Implantação de uma unidade específica para atendimento de profissionais da saúde da Prefeitura em casos de sintomas da covid-19. 
  • Lançamento pela Assessoria de Direitos Humanos e Políticas para as Mulheres de cartilha para uso em condomínios para atenção redobrada à violência doméstica durante esse período de isolamento social, causado pela pandemia da covid-19.
  • O aplicativo Curitiba 156 passou a permitir que sejam feitas denúncias a partir do registro de imagens e endereços, de aglomerações ou do funcionamento irregular de comércio e serviços em desacordo com as medidas sanitárias vigentes.

 

Isolamento social

  • Ampliação dos serviços on-line para atender a população.
  • Suspensão das aulas nas escolas e nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs). Também foram fechados todos os Faróis do Saber, em praças e nas escolas. Foi cancelada a Prova Brasil. As crianças e estudantes que estão em casa cumprindo o isolamento têm videoaulas que podem ser acompanhadas pelo canal 9.2 UHF da TV Paraná Turismo, das 8h às 21h, de segunda-feira a sábado, ou pelo canal TV Escola Curitiba no YouTube.
  • Cancelamento de todos os espetáculos e apresentações culturais e cursos da Fundação Cultural de Curitiba. Os espaços culturais também foram fechados.
  • Cancelamento de todos os programas, atividades e espaços como Centros de Esporte e Lazer e Clubes da Gente. Paralisados o Pedala Curitiba, Lazer na Rua XV, Passos na História, etc. Os Jogos Escolares e as demais competições esportivas programadas também foram canceladas.
  • Suspensas as atividades de serviços presenciais nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras), que estão atendendo apenas situações de emergência.
  • O atendimento nos postos do Sistema Nacional de Emprego (Sines) estão acontecendo mediante agendamento prévio no site.
  • Suspensos os cursos e programas: Liceus de Oficio, Mobiliza, Primeiro Emprego, Empregotech e FAS Aprendiz.
  • Torre Panorâmica está fechada.
  • Feira do Largo da Ordem, no Centro Histórico, foi suspensa. Lançado site que ajuda 1.750 artesãos da Feirinha do Largo a vender seus produtos on-line.  
  • Ala interestadual da Rodoviária de Curitiba está desativada para desembarque de ônibus de outros estados.
  • Mercado Municipal, Mercado Central, Mercado Regional do Cajuru e Sacolões estão abertos para o público, com restrições. 
  • Suspensa a Aula Inaugural do Bom Negócio e também as aulas presenciais do programa.
  • As capacitações sobre empreendedorismo e cidades inteligentes da Prefeitura e Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação passaram a ser EAD (à distância).
  • Worktibas, Cine Passeio e Barigui permanecem fechados.
  • O Smart City Expo Curitiba 2020, edição brasileira do maior evento de cidades inteligentes do mundo, teve a data da sua terceira edição adiada para dezembro.
  • As reuniões presenciais do programa Fala Curitiba foram canceladas. A consulta está sendo realizada de forma on-line. 
  • Atendimentos presencias dos serviços da Prefeitura foram suspensos. Vários órgãos, como Finanças e Urbanismo, paralisaram o atendimento presencial tanto nas Ruas da Cidadania, como nas sedes das secretarias e no prédio central.
  • Suspensão das atividades de casas noturnas, boates, casas de espetáculos, e demais estabelecimentos dedicados à realização de festas, eventos e recepções.
  • Suspensão de atividades de entretenimento com ou sem música (tais como casas de show, festas, teatros, circo e atividades correlatas), eventuais ou periódicas, bem como estabelecimentos destinados eventos sociais e atividades correlatas, além do voltados a feiras técnicas ou de varejo, mostras comerciais, congressos, convenções e outros.
  • Suspenso o funcionamento de bares e atividades correlatas.
  • Suspensas as atividades em parques e praças esportivas.
  • Suspensas atividades físicas aquáticas e práticas esportivas coletivas.
  • Suspensas as atividades em clubes sociais e esportivos, podendo manter o funcionamento das atividades permitidas nos estabelecimentos de rua (como lanchonetes e restaurantes, academias e salões de beleza), dentro das regras de cada área.
  • Estabelecido o funcionamento com restrições do comércio de rua não essencial, shopping centers, galerias e centros comerciais, restaurantes e lanchonetes; mercados; panificadoras; comércio de produtos e alimentos para animais; feiras livres; comércio varejista de hortifrutis, quitandas, mercearias, peixarias e açougues; escritórios em geral, salões de beleza, barbearias, atividades de estética, academias de ginástica, serviços de banho e tosa de animais.
  • Lojas de material de construção com funcionamento de segunda-feira a sábado, sem restrição de horário. Aos domingos, podem funcionar nas modalidades delivery e drive-thru.
  • Para as atividades religiosas, deve ser observada a Resolução n. 734/20 da Secretaria Estadual da Saúde.
  • Estabelecidos critérios para presença das pessoas nos estabelecimentos e serviços. A capacidade máxima tolerada passa a ser de uma pessoa a cada 9 metros quadrados. Áreas menores, cuja ocupação seja incompatível com o espaçamento de 9 m2, deverão providenciar o atendimento externo (da porta para fora). Os locais devem definir acesso de entrada e saída, assegurando o devido controle da circulação. O distanciamento mínimo deve ser de 1,5 metro entre as pessoas e deve ser obedecido também nas filas do lado de fora, que deve ser organizada pelos estabelecimentos. O local de entrada e também em pontos internos deve ter álcool em gel à disposição dos usuários.
  • Prédios comerciais que disponham de elevadores devem diminuir a capacidade máxima nesses equipamentos e fazer a identificação dessa limitação para os usuários.
  • O sistema de alimentação por self-service é proibido em Curitiba. Os estabelecimentos poderão servir pratos a la carte, por delivery ou com entregas nos balcões, seguindo demais regra sanitárias.
  • Eventos, comemorações e confraternização, a recomendação é que sejam suspensos.
  • Estão proibidas a visitação a idosos nas instituições de longa permanência; a visitação a pacientes internados (acompanhantes para idosos e crianças estão permitidos); a venda e uso de narguilés, arguilés e hookah.
  • Crianças com até um ano de idade e pessoas com 60 anos ou mais devem se deslocar apenas para atividades necessárias, evitando transporte coletivo, excursões, evitando eventos com concentração de pessoas.
  • Secretarias da administração mudam escalas de trabalho e adotam home office para equipes.
  • A Prefeitura de Curitiba regulamentou a realização de eventos na modalidade drive-in (sem sair do carro) no município. O documento estabelece a permissão de concessão de licença ou alvará para realização de eventos na modalidade drive-in, desde que as pessoas permaneçam dentro de seus veículos. Os veículos devem manter uma distância mínima de 1,5 metro (um metro e meio) um do outro.  O número de veículos deverá ser compatível com a área destinada ao evento, que deverá ser comprovado por meio de implantação, demarcando veículos, distanciamento e acessos.

Parcerias e campanhas

  • Instalação do serviço de telemedicina. Curitiba foi a primeira capital do Brasil a ter a videoconsulta, com a plataforma doada pela Doctoralia.
  • Criação do programa Anjos da Saúde, uma iniciativa para ampliar os cuidados com idosos durante a pandemia.  O programa funciona por meio de uma tutoria, a ser exercida junto a idosos que não dispõem de rede de apoio familiar e que estejam em condições de saúde mais frágeis. Os tutores são profissionais dos distritos sanitários e estudantes de medicina do último período, que acompanharão e orientarão os idosos durante visitas presenciais. As ações são implementadas por meio de uma parceria com a PUC-PR. Outras instituições de ensino superior também podem vir a participar do programa.
  • Máscaras escudo: além dos equipamentos de proteção produzidos no FabLab do Cajuru, pessoas físicas e empresas estão doando os materiais necessários para a fabricação das máscaras.
  • Conselho de Arquitetura e Urbanismo vai antecipar a aquisição de três impressoras 3D emprestar para o FabLab neste período.
  • Lançado o Desafio Máscaras do Bem inspirado no movimento global #Masks4All, que incentiva a produção de máscaras caseiras na luta contra o avanço do novo coronavírus. O objetivo é doar 100 mil máscaras para entidades filantrópicas de Curitiba que atendem pessoas mais vulneráveis ao vírus, como idosos e pacientes com doenças respiratórias e diabetes. A iniciativa tem o apoio do Vale do Pinhão, da Prefeitura e Agência Curitiba de Desenvolvimento.
  • Vale do Pinhão, com o apoio do Clube da Alice, está promovendo diversas ações para manter o empreendedorismo ativo.
  • Programa Empreendedora Curitibana continua, só que agora online, pelo Facebook do Vale do Pinhão. As oficinas, palestras, dicas importantes de empreendedorismo, notícias de interesse, não param.
  • Atendimento no Espaço Empreendedor, nas Ruas da Cidadania, está fechado, mas não está parado. Os microempreendores individuais poderão obter informações através do e-mail da unidade mais próxima (Boa Vista, Bairro Novo, Tatuquara, Santa Felicidade, Boqueirão, Cajuru, CIC, Fazendinha/Portão e Pinheirinho). Além disso, os MEIs poderão tirar dúvidas através do WhastApp do Sebrae-PR: (41) 9 9787-8003.
  • Três startups do Vale do Pinhão foram selecionadas pela Agência Curitiba de Desenvolvimento e já começaram a oferecer gratuitamente soluções para ajudar empreendedores da cidade em dificuldade devido à pandemia do novo coronavírus. O aplicativo de delivery PedidosNaMão, que funciona como uma plataforma de pedidos e delivery para restaurantes, bares, cafés e lanchonetes, está disponibilizando seu app de pedidos on-line com todas as comissões zeradas até o dia 1º de setembro. Voltado também a pequenos empreendedores e autônomos, a startup PluzApp está oferecendo gratuitamente seu aplicativo para cobranças de vendas e serviços. Já a startup Proh oferece um aplicativo que facilita o contato entre médicos, advogados, professores e outros profissionais com a população. O app curitibano funciona como um chat, em que a pessoa pode conversar com o profissional.
  • A Fundação de Ação Social (FAS) convidou costureiros voluntários para a produção de máscaras de tecidos para distribuição pessoas em situação de vulnerabilidade social atendidas pelo município. O material foi doado por empresários da Rua Bley Zornig, polo de lojas de tecidos e aviamentos de costura em Curitiba. A doação chega a 2,1 mil metros de tecidos e 300 metros de elástico.

 

Clique e veja as ações por área: